28.3.09

Nua

Nua
tens a vulnerável aparência
que me faz fraco
Nua
os teus braços prendem-me
amarram-me
abraçam-me nesses teus grilhões
de desejo
e não sou mais que o teu barco
vogando
neste oceano de pele
e perfume - do teu cheiro.
Nua
olhas-me sabendo que te vejo
em corpo inteiro
e te saboreio no futuro
que vai sempre chegando
em cada gesto imaginado, não completo.
Nua
desenhas um traço nos teus lençóis
imaculados
fronteira dos pecados
por onde atravessas
a salto
os meus sentidos
que despertam e se ateiam em ti
Nua.

3 comentários:

frAgMenTUS disse...

este ficou soberbo!
e quando alguém nos deve, sobretudo, a alma, com paixão, intensidade e amor...é magia, eternidade, momento!bj

Moon_T disse...

muito bom...
eróticamente poetico
gostei

Vanda Paz disse...

este é realmente muito teu

parabéns