30.10.07

Esse teu vestido


foto de Carla Maio

Gosto de te ver nesse vestido, simples, negro, as alças que te afagam teus ombros finos, onde repousam tantos dos meus beijos. Em cada olhar, percebo a repetição dos olhares, como um vício que me conforta e do qual não me desprendo. Gosto de te avistar do fundo da rua, onde sempre apareces, como se o mundo viesse de trás de ti, te acompanhasse. Vislumbro, como uma brisa, os teus cabelos curtos, negros – generosos, que dão o enquadramento preciso a esses teus lábios onde paira um misterioso sorriso, que nunca tenho coragem de saber a razão. Contigo, trago sempre a vaidade estampada no rosto, na simples observação dos pequenos detalhes. Contigo é fácil responder à interminável questão – porque amo? – Porque a resposta é sempre este gosto quente e saboroso dos teus olhos a repousar nos meus.

4 comentários:

Rosa Maria Anselmo disse...

Olá Jorge
As palavras parecem flutuar nesta tua prosa poética... um simples vestido.. que belo!!!
jinhos
Rosa Maria

Roxanne W. disse...

jorge há tanto que não passava por este cantinho...mas sentimo-nos sempre tão quentinhos sempre que por aqui passamos...gostei imenso do texto...para não variar

Vera disse...

Uma prosa muito bonita!
As palavras esvoaçam nesse vestido simples, negro!

Beijinhos

Vanda Paz disse...

Porque não verde? o vestido...

Beijo

T