16.10.07

Poemas de ti (X)


Os dias mais pequenos,
trazem a saudade das noites mais curtas,
e do despudor,
quando dormes nua sobre a cama
os lençóis desarrumados
as tuas costas brilhando
no calor que te humedece.
e me incendeia,
dá-me a saudade
das insónias, das inquietas
horas
que só o amor sossega;
e destes dias que chegam
desregrados
outonais e incertos,
chego-me à tua boca
e sinto esse sabor trémulo,
de morangos silvestres
frescos -
colhidos
- na fresca manhã
que não vai tardar.

5 comentários:

PoesiaMGD disse...

Deliciosos morangos... frescos... hum!!!!
Um abraço

Manuela disse...

Poema belo! Erótico! Bem construído!

Beijinhos*
Manuela

Vieira Calado disse...

Pois é, amigo!
O que é bom pouco dura.
Bom Domingo.

Mel de Carvalho, www.noitedemel.blogs.sapo.pt disse...

Um belíssimo poema.
Abraço
Mel

Vanda Paz disse...

Muito teu

Beijo

T