14.5.07

Quem


Quem me diz
que estou por aqui
aperreado e dorido
destas grilhetas
com que a vida me prende
aos dias repetidos?
Quem me tenta a voar
e despedaçar-me
contra este sol
que me encadeia?
Quem me escorraça
desta cidade onde me
planto
e crio raízes que procuram
longe
a água que preciso?
Quem me afaga o pescoço,
e me beija,
e me diz as palavras
que se perdem
em cada véspera,
na desculpa de um amanhã
igual?
Quem me prende
a esta vida,
e me sacode a morte dos ombros,
e me ensina a carregar
as folhas acastanhadas
que o Outono
não escreve?
Quem me dá o descanso
que não seja eterno?
Quem me traz ao nascer-do-sol
a simples alegria
de uma centelha
que nasce e renasce
bem fundo em mim?
Quem me dá sem eu pagar
e me recebe
sem procurar
o quanto deve?
Quem?

4 comentários:

Vera disse...

Todos precisamos de alguém que esteja ao nosso lado e partilhe a nossa vida. Quem nos dê um beijo sem pedirmos, quem nos dê uma razão para viver...
Adorei o teu poema, como sempre!
Tens o dom de me fazer sonhar!

Mil beijos

Isa&Luis disse...

Olá,

Belas palavras uma torrente de emoções ao rubro.

Beijos meus

Isa

PoesiaMGD disse...

Alguém seguramente muito especial!
Um beijo

Anónimo disse...

Como é tão lindo este poema...tão forte...tão cheio de significado...como eu o entendo...há sempre alguém que nos faz pensar um pouco...há sempre alguém que nos faz falta...I...