15.5.07

Poemas de ti...

Assumo de uma vez
este desejo
que se estende pela pele
e me estremece,
e deixo nos teus olhos
meu olhar,
de joelhos
como se fosse uma prece.

Na espuma
onde encontro nosso espaço,
e nos deixamos molhados
em silêncio,
calo a vontade de dizer,
do desabafo,

e de um trago me calo
e te abraço.

Teu corpo nú
humedecido,
tão fino, tão mulher
tão desejado,
é meu refúgio
miradouro dos meus passos,
onde sempre vou
e te contemplo
de um só espanto.

Caio na tua cama
sem a sede,
dos corpos quentes
verdes e precoces,
sou um ritmo de jazz
dissonante
ouvindo teu perfume
que me prende.
E depois que o barco parte
e nos soltamos
na vela aberta
no teu vento,
partimos navegando na bolina,
do desejo
que marca
nosso tempo.

4 comentários:

Tania disse...

Bonito e sereno, como a brisa que vem do mar. :)

Vanda Paz disse...

Poemas que se esqueceram,
poemas que ficaram
marcados...
por momentos da vida,
momentos passados,
quem sabe por
momentos de esperança...

Para mim cada poema é um momento.

Este teu momento está maravilhoso

Beijo

T

Anónimo disse...

Lindo,lindo,lindo...e...como eu gosto de Jazz!...


Mil beijos muito doces
I...

manucodiata disse...

hoje precisava de te ler

beijo