27.9.06

Lembranças

Lembro-me dos teus olhos,
desponta um momento
de sentida dôr,
que o coração sente,
como uma vaga que rompe,
na areia onde se espraia,
solidão fria, aguda,
penetrando a sombra,
onde o dia arrefece.

Lembro-me dos teus olhos,
de um esgar no sorriso,
cosmético,
enfeite das rugas -
da expressão de ausência
com que me deixaste.
Permaneço inteiro,
as mãos com a força
com que te espero,
talvez tomar-te.
Talvez um dia,
no teu regresso.

1 comentário:

rossanamador disse...

procurei-te e mais uma vez me encontrei e encontrei-te em cada melodia que faz a palavra ao sair dos dedos!