18.2.11

O meu desejo


o meu desejo,
é ter-te, inteira
toda.
ainda que nem sejas minha,
- não há pertença
neste desejo.
ter-te assim completa,
é apenas
poder entrar
pela porta
aberta
sem perguntar se estás
sem chamar pelo teu nome;
o meu desejo
vem da tua vontade,
do verbo querer,
vem dos teus sinais
e da chama dos teus olhos
incendiando
- da cama aberta
do teu corpo tatuado nos lençóis
que já conheço de cor.
o meu desejo
traz a noite inteira
a vontade de estarmos inteiros
na próxima manhã,
ao acordar.

2 comentários:

b r i s a disse...

o desejo é ao mesmo tempo liberdade e aprisonamento... quando espontâneo, e recíproco, é maravilhoso!!!

Vanda Paz disse...

Um desejo intenso do verbo querer.

Muito belo!

Beijos