8.7.10

Traços


As vidas são traços feitos em paralelo, cada um traça a sua própria linha e segue em frente, paralelo às outras, e é nos sentidos e nas emoções, que todas as linhas se podem desviar e embater nas que lhe estão próximas. Somos caminhos que por vezes se tocam, tangentes às vezes tão ténues, que não damos por elas, somos traços sublinhados que suportam outros traços mais finos e frágeis, somos por vezes manchas escuras, novelos de traços fundidos, inexpressivos, sem nada que distinga e lhe confira individualidade. Há traços que adquirem as suas próprias cores, uns passam por estes caminhos como o céu que nos envolve, apenas presente sem reclamar da sua própria infinidade, outros são cores violentas, agridem e fazem com que fechemos os olhos aos caminhos onde nunca nos queremos cometer.
Os traços geram traços e assim se prolonga a linha da vida, como um enorme fio que não se quebra e sempre se desenrola, e com ele se geram memórias e com ele o futuro que se torna presente a todo o momento garante o meu traço que se desvia e amarra outros traços, companheiros desta estrada desenhada em mapas onde nunca sabemos a partida e o destino, apenas sabemos onde estamos.
E na nossa vida surgem artistas, linhas elegantes, desenhadas à mão, assinaturas que nos mostram a vida de formas diferentes, belas, esculpidas na imaginação de quem nunca se limita a ser apenas um traço na horizontal, no assumir da sua verticalidade e nos desenhos que nos traçam outros modelos, outros quadros e nos enchem de céu e mar, e no meio dos seus traços, abraçam rostos e paisagens em linhas que mal se distinguem e nos dão outros olhos. São as mãos que percebemos no calor das tintas que vivificam cada linha, cada ponto. és tu, nessa tua fronteira que marcas em traços fortes para que ninguém entre, são tracejados hesitantes desses teus lábios onde nunca se repousa, são o quadro onde me deixas escrever o teu poema, são pontos e linhas juntas que se transformam em escrita, e onde tudo é possível traçar.

3 comentários:

Vanda Paz disse...

--. --- ... - . ..

-... . .. .--- ---

b ú z i o disse...

traçar as linhas do coração com sinceridade e emoção, fazem os escritores - de telas e poemas. em segredo, unem-se em secretos laços de mistério e vida, luz e sombra, sabem-se acompanhados mas sentem-se sós...
obgda por aqui deixares mais um pouco da tua tela.
bj grnd luz e paz

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Jorge, boa noite, estou participando de uma interação no blog Espaço Aberto do qual também sou um dos integrantes. Nesta interação temos que dar continuidade a ultima estrofe colocada nos comentários da postagem que é uma interação feita a partir de um pedaço do poema do Vinicius chamado "Haver", além disso convidar pessoas que nunca visitamos antes, no caso duas pessoas desconhecidas e uma já amiga.
Te vi no blog de algum amigo que agora nem lembro...rs... e to aqui te convidando a participar com a gente, sei que estou atrasado no convite, mas se não der tempo pelo menos você irá conhecer nosso blog e quem sabe participar na próxima interação...

Quanto ao seu poema, ele é muito bonito, acho que esse olhar acontece quando passamos a reparar a vida com os olhos da alma, assim de outra forma e é ai que as cores se tornam mais vivas...mais verdadeira...parabéns pelo blog e pelos seus textos...

Um abraço na alma...

Este é o link para o Espaço Aberto...

Boa semana para você...

http://um-blog-para-todos.blogspot.com/