11.11.08

Poemas de ti (14)




Na intensidade do tempo vazio
sem ti,
desafio as memórias
como um rosário
onde cada conta,
é uma história
dos dois
E é na tua inestimável
ausência
que me torno feliz,
imaginando-te
quando vestes a tua blusa
que quero
e o livro que lês,
na forma doce como o tens
sempre vivo, intenso.
O teu cabelo
desalinhado na perfeição
os teus lábios
irresistivelmente vermelhos,
são um perfume
inesquecível
neste tempo
das estradas
feitas rios de gente,
que desaguam nos cantos
e esquinas
entregues em cada vida
e escolhem as suas avenidas,
as mãos que se querem juntar,
os olhos abertos,
o ar de cada peito,
e os sonhos que sobram
dos afectos
que trago para o caminho.
Na intensidade do tempo
de ti.

2 comentários:

nas asas de um anjo disse...

e é essa intensidade, terna e doce, q tanto cativa...as tuas palavras fluem tão bem!

bjs e resto de uma semana feliz

Vera disse...

E uma intensidade num poema imenso, grande Poeta!

Beijinhos