23.11.07

A tua boca à volta de um beijo




A tua boca move-se,
percorre a distancia larga
que nos faz estrangeiros
na terra das vontades.

A tua boca achega-se
como um íman que me atrai
e me faz dos lábios
teu divã coçado e gasto
onde te aconchegas
e lês as histórias
que guardas
para os momentos mais teus.

A tua boca cola-se
com a minha boca,
entra dentro de mim
e abre-me a janela
onde me encosto
e cresce o desejo
de me deixar ficar

A tua boca deixa-me
e meus olhos
vigiam-te
hipnotizados desse momento
que se guarda
na vontade
de outro e outro.

A tua boca chama-me
e eu parto
na desfilada de um caminho
que percorro
célere
para te voltar a ter
na volta de um beijo.

4 comentários:

MGB disse...

Por dentro das palavras é que as palavras são.

Um lugar que gostei de conhecer, daqui do lado de fora destas palavras.

Boa tarde.

T u r t l e M o o n disse...

excelente descrição poética do desejo e do beijo.bjs

Vera Carvalho disse...

Jorge,
este é, sem resistência, o poema mais intenso, mais divino, mais primoroso acerca do beijo!
Como eu gosto de te ler!!!
Parabéns meu querido poeta:).
Um beijo.

efeneto disse...

[...]Passo os olhos
pelos pormenores,
como se fossem do tamanho do mundo.
Enquadro em pequenas sílabas
as grandes coisas
que ocupam o espaço[...]

Escolhi estas suas palavras para lhe agradecer a sua visita. É sempre bom receber amigos novos e melhor ainda quando sabemos que ambos tenhos amigos comuns.
A magia de uma parte do corpo de onde saiu essa "coisa" que se chama beijo aqui poeticamente descrita. Gostei.
Abraço amigo e continuação de boa semana.