19.9.12

Se fosses assim

Não fujas,
ainda não inventaram os dicionários
que te possam explicar.
tu és uma bruma fresca e cinzenta
cheia de manhãs mágicas,
que apenas amo.

Sei que és bruma,
nada mais sei.
respiro os teus abraços
apertados, longos
como maresia
atrevida e salgada
como manhãs acordadas na praia,
onde as carícias se trocam
sem nada mais que as recompense.

Adivinho esse teu lado
onde queres um beijo,
arrisco no teu corpo
os desejos que faço
por aprender.
e o medo fica de lado
quando estendes o teu braço
e as tuas mãos caem no meu peito
e sorriem. 
Se apenas fosse assim
e os poemas se fizessem
de dois seixos
que revolvem na maré.
se bastasse amar
como uma canção
recordada... 
se tu fosses
assim.






1 comentário:

cores e outros amores disse...

se a vida fosse como a sonhamos... se o amor fosse como nos livros... que delícia! adorei o poema.