25.11.10

O meu tempo é tempo de ti.


Aquieta-te no meu colo, deixa
que os meus braços te pertençam
como um manto quente de algodão
escuta a pequena melodia
que o mar nos traz
na pacatez de um recanto de areia
deixa as marés bravas, invernosas
soltarem a espuma
e murmurarem de volta
a paz solta dos teus olhos húmidos
envergonhados
o meu tempo é tempo de ti
quando colo os lábios
nos teus cabelos
e sorvo este teu cheiro
que persisto e não quero esquecer.
há nestes momentos
um raio de sol a abrir
uma página solta que se alimenta
do te olhar interminavelmente.
e saborear esse teu doce ar
de paz
como se eu fosse teu ninho
donde ainda nem sabes voar

2 comentários:

ana margarida cristo disse...

terno...lindo!

http://ilhademim.blogspot.com/

Vanda Paz disse...

Gosto deste tempo

Beijo