30.9.08

Poema de ti 13




Porque me faltas,
corre-me pelo rosto
a saudade,
chega-me aos lábios
o sal,
sabor da tua falta
que me queima
e me conserva
arrecadado em ti

Estás por aí
sinto-te
cheiro a tua presença
como um cego
que pressente teus lábios
encerrados.

As minhas mãos aguardam-te
como cais
aguardando
as marés que trarão
os barcos,
como as mães
rebolando nos leitos
esperando os filhos
que tardam da noite.

Resta a agonia do desejo
e o olhar endoidecido
de te olhar
e te roubar
esse sabor
com que não me esqueço
de ti.

8 comentários:

nas asas de um anjo disse...

será q ela te lê?e resiste a este apelo poético?está um poema bonito.boa sorte!bjs

Vanda Paz disse...

LINDO!

BJO

T

Vera disse...

"Estás por aí
sinto-te"...

E é assim o amor. Sente-se, muito mais do que se vê ou mostra.
Mais um belo poema JB :)

Beijinhos

Cadinho RoCo disse...

Sentir a presença pelos sentidos do amor querer insano a debochar da transparência.
Cadinho RoCo

Janine Bettencourt disse...

Simples, conciso, esclarecedor, LINDO!

Surpreendo-me a cada dia que passa na blogosfera.

Vou passar mais vezes,
Jana

mundo azul disse...

Muito lindo o seu poema!!!

Um poético apelo...


Beijos de luz!

Crystal disse...

Nove. Consegui parar quando cheguei ao fim da página...poderia ler mais, ir as mensagens antigas, ficarão para outro dia, valem de certeza a viagem de volta.Por agora fico-me por aqui, levo já o peito cheio de magia nas palavras que li com os olhos e com o coração.Verdadeiro momento de entrega, em que me desterrei de mim...

Anónimo disse...

Xiça...tinha saudades tuas.
Que bom que é poder ler-te.

Beijos muitos e doces.
I...

Será que ainda sabes quem sou?