11.6.07

Nada se compara a ti.


foto de Nuno Ferreira
Nada se compara a ti.
Tudo parece imperfeito
Ao teu lado.
Transmites tanto nesse teu olhar,
o teu sorriso contagiante
genuíno, doce.
Olho-te,
Como se fosses um anjo
Somente uma menina doce e bela.
Rendido no tempo,
sempre rendido
na determinação vital,
preciosa, de te achar.
Digo ao vento,
do quanto te quero
e espalho com ele (o vento)
as tuas lágrimas
que se tornam estátuas
imortais.
Sobrevivo na tua mão,
do lado do abismo.
Seguro a vida
como uma rosa espinhada
escrita no fel
amargurada pelo sangue
dada,
na contínua proporção
deste amor que violenta
o Sol
e me torna Lua
de ti.
Ficando apenas o desejar,
o desejar que sejas só
minha e de mais
ninguém...
Fazendo inveja a beleza,
por seres ainda mais bela...
Tornando a estrela mais
brilhante entre tantas
outras... destacando
pela tua simplicidade.
Fazendo de nós dois
um ser só como se
de uma alma gémea,
se tratasse...



Dueto publicado no Luso Poemas com o Bruno

2 comentários:

smash disse...

Foi um prazer escrever contigo, espero poder escrever mais vezes. Se quiseres depois passa no meu blog, e desculpa a publicidade. Abraços.

Vera disse...

Realmente nada se compara a ti! A tua escrita é deliciosa!

Beijinhos