10.1.07

Um momento

Dobram-se as noites de luar
deita-se o sol,
acordam todas as luzes
entoadas à claridade,
e repassa no orvalho
a simplicidade de cada
silêncio,
e dos sons espontâneos,
inventados.
De pé, olhando o que
ninguém sabe
um homem por desvendar
espera a aurora
e uma mão de mulher
que lhe entregue a noite
num beijo.

3 comentários:

Anónimo disse...

...um momento... de leitura lindo...
anaea

Anónimo disse...

Pelas palavras de outros ventos este momento nunca existiu...o que torna a mágoa de um enterro muito mais sentida...
És o melhor arquitecto das palavras que já alguma vez conheci.
Fica bem
Beijos
Vanda

isa&luis disse...

Olá,

Lindo! lindo o teu versejar, amei ler.

Beijinhos

Isa